No ano que celebra 40 anos, ABIPEM saí na frente ao capacitar mais de mil gestores em investimentos de RPPS


Diante das crises mundiais – queda do Petróleo e Coronavírus – que têm afetado de forma direta investimentos e estressado mercados financeiros, a realização 2º Congresso Brasileiro de Investimentos dos RPPS, ironicamente, ocorreu no melhor momento para os regimes próprios brasileiros, pois fortaleceu para a qualificação dos gestores brasileiros para lidar com todas as questões.

Afinal, como disse Daniel Maeda, superintendente de relações com investidores institucionais da Comissão de Valores Mobiliários – CVM, “o evento acabou sendo oportuno na medida que reforçou e ajudou a demonstrar como é importante um bom processo de governança, transparência. Inclusive para encarar com a serenidade que deve ser encarada. São momentos que sempre acontecem. Como se costuma brincar: todo mundo sabe que haverá uma próxima crise, só não se sabe quando e de que forma. Porque elas sempre vêm.”, opinou. Para o especialista, quem participou dos três dias debates sairá mais preparado para enfrentar os desafios do mercado, “porque assimilaram o que foi discutido aqui, neste tipo de evento, como as boas práticas de gestão, etc.”, finalizou.

O 2º Congresso Brasileiro de Investimentos dos RPPS – primeiro evento do ano da ABIPEM – teve presença de mais 1.070 pessoas vindas de diversos estados do País. Economistas, gestores, técnicos e representantes e presidentes de Regimes Próprios de Previdência Social – RPPS, estiveram presentes entre os dias 11 e 13 de março, no CentroSul, em Florianópolis, para assistir a 15 palestras, debates e trocas de experiências sobre investimentos. Na ocasião também foi realizado o 9º Congresso Estadual ASSIMPASC.

A programação foi desenvolvida para que os participantes tivessem a oportunidade de adquirir conhecimentos sobre investimentos para os Regimes Próprios, conhecerem as alterações em legislações, além de ter a oportunidade para interagir com os mais renomados especialistas na área.

Primeiro dia

Na abertura oficial, João Figueiredo agradeceu à plateia que acreditou ser possível discutir e debater previdência de forma tranquila diante de todos os momentos de turbulência que o Brasil tem enfrentado nas últimas semanas. “Estamos hoje com mais de mil inscritos, então podemos ter uma ideia da importância do assunto e, especialmente, do interesse que vocês demonstraram com a pauta investimentos. A ABIPEM agradece a todos por terem vindo e desejamos que seja um profícuo encontro”, disse.

Ainda durante o discurso, João destacou que, em 2020, a ABIPEM completará 40 anos. Para simbolizar as quatro décadas da Associação, foram entregues aos participantes da mesa um bonsai, símbolo do cuidado, da paciência, e, principalmente, do trabalho com o futuro. “Este bonsai está sendo cultivado há mais de dois anos, e eu desejo a cada um, que cuide deste bonsai tal qual gerem os regimes próprios de vocês”, finalizou.

Compuseram a mesa de abertura – na noite de sexta – João Carlos Figueiredo, presidente da ABIPEM; Carlos Xavier Schramm, presidente da ASSIMPASC e conselheiro Fiscal da ABIPEM; Narlon Gutierre Nogueira, secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia; Heliomar Santos, presidente ANEPREM; André Goulart, presidente da AMIPREM; Adilson Carlos Pereira, presidente da APEPP; Alderi Zanatta, presidente da AGIP; Márcio Apolinário, presidente da APEPREV; Daniel Boccardo; APEPREM; Luciane Rabha, presidente da AEPREMERJ; Luana Piovesan, presidente da APREMAT; José Itamar de Oliveira; presidente da ACEPREM; Luiz Guilherme Machado, presidente da ASSIPPA; e representantes da ACIP; do ADIMP-MS; da ASPREVPB

Representando as associações presentes, Carlos Xavier Schramm destacou a gratificação em receber tantas pessoas no estado de Santa Catarina para discutir e trocar experiências sobre o tema investimentos: “desejo que levemos aos nossos institutos as melhores formas de administrar e práticas de de governança para lidar nossas aplicações”, encerrou.

Palestra inaugural

Narlon Gutierre Nogueira, secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, foi o responsável por fazer a palestra de abertura. Com o tema “A Atual economia brasileira e os investimentos do RPPS – a implantação da EC 103 como garantia da sustentabilidade da previdência pública”, Narlon optou por apresentar na abertura uma abordagem mais ampla – tanto em relação a temas relacionados aos Regimes Próprios, mas, também, ao Regime Geral de Previdência Social. “São preocupações que nós, na Secretaria de Previdência, temos em relação a esse importante sistema de proteção social que existe no Brasil em relação ao atendimento aos segurados, em relação a medidas que precisam ser tomadas para que a Previdência Social brasileira possa atender de forma adequada aos seus segurados”, disse.

Segundo dia

Com 12 apresentações divididas em três salas, o segundo dia de Congresso foi composto por debates variados como “O papel dos Conselhos na aprovação, acompanhamento e execução da política de investimentos”, “Fundo Multimercado: sua importância no cenário dos juros atuais”, “Ética na gestão dos investimentos – conflitos, responsabilidades e obrigações de Gestores, Conselheiros e membros do Comitê”, “Renda Fixa: sua importância no cenário dos juros atuais”.

Rosane Ferraz, do Instituto de Previdência Social dos Servidores do município de Dourados [MS], Diretora Financeira e membro do Comitê de Investimentos do Previd, afirmou que o evento foi fantástico e veio em hora melhor porque o mercado financeiro está com todo esse desequilíbrio. “Nós, enquanto gestores, temos que buscar o conhecimento e nos reciclar para poder termos serenidade nesse momento para saber como vamos tomar a melhor decisão em um momento como esse”, compartilhou

Magadar Briguet, consultora jurídica da ABIPEM, defendeu a função de formação que a Associação possui, no sentido de informar gestores dos regimes sobre o processo de concessão de benefícios e investimentos. “É importante papel de trazer às pessoas os especialistas para expor ao público o conhecimento. Eles precisam ter esse conhecimento. Regime Próprio é um regime complexo, cheio de especificidades e é preciso ter conhecimento, sempre se aperfeiçoar nessa gestão”, explanou.

Qualificação para associados

O presidente da Associação anunciou, ao final da última palestra – “Fundos de ações e sua importância no cenário de juros atuais” – que serão oferecidos 24 cursos, desenvolvidos em parcerias com as associações estaduais – para os associados da ABIPEM, com o intuito de promover e alavancar a melhor qualificação destes. “A ideia é levar esses cursos de graça e reforçar a questão associativa”, explicou.

Fonte: ABIPEM

Notícias OstrasPrev

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar Acessibilidade
pendik escort kartal escort çekmeköy escort mersin escort türkçe altyazılı porno lezbiyen porno sex hikaye mersin escort bodrum escort